Arquivo de etiquetas: qualificação

ESTÁGIOS NA UNIÃO EUROPEIA

Estão abertas vagas para estágios na União Europeia: Conselho da UE, Parlamento Europeu, BEI, BCE, EUROPOL, JRC, ESA, CPVO, ENISA, EDPS…..
Os estágios são remunerados e são realizados na sede da Instituição ou Agência Europeia.

CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE
Os candidatos devem ser nacionais de um dos Estados-Membros da União Europeia ou dos países candidatos que beneficiam de uma estratégia de pré-adesão, ter mais de 18 anos e devem ter concluído, até à data-limite de apresentação das candidaturas, o primeiro ciclo do ensino superior.

REQUISITOS ACADÉMICOS

Para além das áreas de conhecimento específicas a cada vaga, os candidatos devem ter bons conhecimentos de pelo menos uma das línguas de trabalho da instituição (francês ou inglês ou alemão).

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Na sua maioria, os estágios não exigem experiência profissional.

CANDIDATURA

Os candidatos devem ler os anúncios, as regras aplicáveis aos estágios da Instituição ou Agência, de como formalizar a candidatura e demais informações no site Trabalhar na União Europeia.

Comissão Europeia financia estágios de aprendizagem profissional de longo prazo no estrangeiro.

A Comissão Europeia está a pré-financiar sete projetos-piloto que oferecem estágios de aprendizagem profissional de longo prazo no estrangeiro. O objetivo destes projetos consiste em testar colocações experimentais de pelo menos 6 meses, num esforço para promover uma aprendizagem no estrangeiro de mais longa duração.

Atualmente, já cerca de 650 000 aprendentes e diplomados do ensino e da formação profissionais (EFP) podem beneficiar do financiamento do programa Erasmus + para apoiar as suas experiências de mobilidade, no estrangeiro, por um período de 2 semanas a 12 meses. Contudo, não obstante as vantagens das colocações a longo prazo, menos de 1 % permanece no estrangeiro por um período superior a 6 meses. Os projetos-piloto lançados este ano irão, por conseguinte, oferecer a 238 aprendizes colocações noutro país da UE durante um período de 6 a 12 meses, com vista a identificar as boas práticas e os obstáculos relativamente à aprendizagem a longo prazo no estrangeiro. Estas 238 colocações vêm juntar-se aos 100 aprendizes atualmente implicados em projetos semelhantes financiados pela Comissão em 2016. Como parte do esforço global da Comissão para melhorar a mobilidade de longo prazo do ensino e da formação profissionais (EFP), em dezembro de 2016, a Comissão propôs igualmente uma iniciativa ErasmusPro, que estará operacional em 2018 e que permitirá que mais 50 000 jovens permaneçam entre 3 e 12 meses noutro Estado-Membro.